Coordenadas: 6°12’07” S / 36°34’02” W

Município: Currais Novos

Descrição: O Geossítio Pico do Totoró está situado a 10 km, a NW, do centro de Currais Novos. O acesso ao local se dá através de estradas não pavimentadas que leva ao distrito do Totoró, localidade que deu início a expansão populacional da cidade de Currais Novos.

No geossítio predominam rochas de natureza granítica, inequigranulares de textura grossa a porfirítica, de cor cinza a rósea contendo minerais grandes (conhecidos como fenocristais), descritos como K-feldspato, podendo alcançar até três centímetros em seu eixo maior. Além de K-feldspato ocorre ainda plagioclásio e quartzo, bem como biotita, anfibólio, titanita, minerais opacos, allanita, epidoto, apatita e zircão. Associados aos granitos, porém em menores proporções, ocorrem dioritos e gabros equigranulares de textura fina a média, de cor verde escura a preta, compostos por piroxênios, anfibólios, biotita, além de plagioclásio e quartzo. Em menores quantidades são identificados ainda K-feldspato, epidoto, titanita, olivina, além de minerais opacos, allanita, apatita e zircão. Esse conjunto de rochas ocorre separado, porém muitas vezes é possível constatar evidências de processos de misturas (coexistência) de magmas, através da presença de termos híbridos e a captura de cristais porfiríticos (feldspatos). Este granito está incluído na Suíte Intrusiva Itaporanga, sendo conhecido como Plúton Totoró, com idade U-Pb em 591 milhões de anos, já as rochas escuras, dioritos e gabros, possuem 597 e 595 milhões de anos, respectivamente (Archanjo et al., 2013).

Neste geossítio estão situados atrativos geoturísticos que envolvem geoformas (criadas pela atuação de processos erosivos e por intemperismo esculpidas pela ação do vento), presença de fósseis e pinturas rupestres, com destaque para: i) Pedra do Caju (sua forma lembra um enorme caju com a castanha); ii) Pedra do Letreiro (antigo abrigo de homens pré-históricos que viveram na região, contendo pinturas rupestres com diferentes formas geométricas); iii) Pedra Furada (cavidade formada na rocha granítica, contendo também pinturas rupestres de pessoas e animais); iv) Pedra do Sino (nome dado a um rocha que foi quebrada ao meio e um do seus lados emite um som quando percutida); v) Sítio Paleontológico/Arqueológico Lagoa do Santo, local onde foram encontrados inúmeros fósseis de mamíferos gigantes (megafauna), como preguiças, mastodontes, gliptodontes, entre outros, bem como pinturas rupestres com diferentes formas geométricas (Figuras 34 a 41) (Porpino e Santos, 1997; Santos, 2001; Medeiros, 2003).